Notícias

Após pressão de professores, vereadores de Varginha derrubam Escola sem partido

escola-sem-partido
Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

Após pressão de professores das redes pública e privada, de diretores do Sinpro Minas e do Sinpromag VGA, vereadores de Varginha rejeitaram por unanimidade, nessa quarta-feira (30/10), o projeto de lei que pretendia instituir na cidade a proposta de Escola sem partido. Com isso, o projeto foi retirado de tramitação na Câmara Municipal.

De autoria do vereador Pastor Fausto (PR), a proposta previa a punição para professores que abordassem diversos temas em sala de aula, como gênero e política. Para a diretora do Sinpro Minas Mônica Cardoso, a pressão dos docentes foi fundamental para convencer os parlamentares sobre os riscos dessa proposta e barrar a sua aprovação.

“Trata-se de um projeto que fere a liberdade de ensino e a autonomia docente, além de inconstitucional. O que os defensores dessa proposta querem é uma escola sem reflexão, sem capacidade de formar cidadãos críticos. Há sim um partido por trás disso, e precisamos alertar toda a sociedade para os riscos dessa proposição. Felizmente fomos vitoriosos nessa batalha, mas precisamos continuar em alerta”, afirmou a diretora do Sinpro Minas Mônica Cardoso.

 

WhatsApp Image 2018-11-01 at 16.22.16

Projeto de lei que pretendia instituir na cidade a proposta de Escola sem partido, foi retirado de tramitação na Câmara Municipal.

WhatsApp Image 2018-11-01 at 16.22.44

De autoria do vereador Pastor Fausto (PR), a proposta previa a punição para professores que abordassem diversos temas em sala de aula, como gênero e política.

Comentários (0)

Deixe um comentário