Notícias

Sugestão de filmes para debater o racismo

CAPA-racismo
Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

A data faz referência ao dia da morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo de Palmares, em Alagoas, que lutou para preservar o modo de vida dos africanos escravizados que conseguiam fugir da escravidão.

A importância da data está no reconhecimento dos descendentes africanos na constituição e na construção da sociedade brasileira.

Os principais temas que podem ser abordados nessa data são o racismo, a discriminação, a igualdade social, a inclusão do negro na sociedade, a religião e cultura afro-brasileiras, dentre outros.

Como surgiu o Dia da Consciência Negra?

Durante o governo Lula (2003-2010), a Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, determinava a inclusão da temática “História e Cultura Afro-Brasileira” no currículo escolar. Nesse mesmo documento, ficou estabelecido que as escolas iriam comemorar a consciência negra:

“Art. 79-B. O calendário escolar incluirá o dia 20 de novembro como ‘Dia Nacional da Consciência Negra’.”

No entanto, foi somente no governo de Dilma Rousseff e através da Lei nº 12.519 de 10 de novembro de 2011, que essa data foi oficializada. Nesse documento foi criado o “Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra”, que se tornou uma data oficial no calendário brasileiro sem obrigatoriedade de que fosse feriado.

A data é uma forma de conscientização do impacto causado pelo racismo e o período da escravização. Mas o Dia da Consciência Negra visa, também, valorizar a cultura afro-brasileira na música, religião, política, gastronomia, entre outras áreas.

Quem foi Zumbi dos Palmares?

Popularmente chamado de Zumbi dos Palmares, ele foi o último dos líderes do Quilombo dos Palmares, durante o período colonial.

Zumbi nasceu livre no período colonial, em Pernambuco. Porém, acabou escravizado com apenas seis anos de idade, em uma época na qual era preciso lutar com mais força contra a escravidão e pela liberdade de exercer seus direitos como ser humano.

Filho de africanos escravizados, Zumbi foi educado por um sacerdote e depois retornou ao seu local de nascimento. Ali, lutou para que o quilombo não fosse destruído pelos colonizadores que consideravam um perigo aquela reunião de negros libertos.

Graças a Zumbi, negros escravizados conseguiram formar uma resistência para recuperar sua liberdade e preservar a cultura africana no Brasil. Em 1695, aos 40 anos, enquanto defendia seu povo e seus direitos, ele acabou sendo assassinado pelo capitão Furtado de Mendonça, a mando de Domingos Jorge Velho. Foi decapitado e sua cabeça levada para Recife, onde ficou exposta em praça pública. A escravidão só chegou ao fim cerca de 193 anos após a sua morte.

Abaixo sugestão de plataformas, filmes e sites para ajudar a combater o racismo

-Plataforma Afrolix – uma plataforma colaborativa que disponibiliza conteúdos audiovisuais online com uma condição: encontra produções com, pelo menos, uma área de atuação técnica/artística assinada por uma pessoa negra. São filmes, séries, web séries, programas diversos, vlogs e clipes que são produzidos OU escritos OU dirigidos OU protagonizados por pessoas negras.

Os filmes selecionados são fáceis de encontrar em plataformas de streaming

1. À Espera de Um Milagre (1999)

Imagem: Divulgação

O filme À Espera de Um Milagre mostra a história de John Coffey (Michael Clarke Duncan), um homem negro condenado à morte pelo assassinato brutal de duas irmãs gêmeas de nove anos, em um momento em que a segregação racial era muito forte nos Estados Unidos. Na prisão, ele conhece o carcereiro Paul Edgecomb (Tom Hanks), que começa a entender melhor o acusado e descobre que não há nada de mal em seu ser, muito pelo contrário.

2. Infiltrado na Klan (2018)

Imagem: Divulgação

Em Infiltrado na Klan, filme de Spike Lee, conhecemos a história de Ron Stallworth (John David Washington), um policial que, em 1978, conseguiu se infiltrar em um grupo da comunidade racista Ku Klux Klan, mesmo sendo negro. Com bastante destreza, ele se comunica com a comunidade por meio de cartas e telefonemas, enviando outro policial branco em seu lugar quando precisa aparecer fisicamente em encontros.

3. Fruitvale Station (2013)

Imagem: Divulgação

Fruitvale Station é um filme que mostra a luta de Oscar Grant (Michael B. Jordan), um jovem de 22 anos que perde o emprego e esconde a informação da mãe de sua filha, Sophina (Melonie Diaz), por achar que é capaz de recuperar o trabalho. No entanto, a situação se complica quando o personagem acaba sendo vítima do preconceito em uma noite que deveria ser de comemorações.

4. Green Book (2018)

Imagem: Divulgação

Vencedor do Oscar de Melhor Filme, a produção dirigida por Peter Farrelly se passa em 1962 e conta a história de Don Shirley (Mahershala Ali), um pianista famoso mundialmente que começa uma aventura pelo sul dos Estados Unidos para a sua turnê musical. Ele contrata Tony Lip (Viggo Mortensen) para ser seu motorista e segurança, e então os dois começam a enfrentar problemas em suas viagens devido à segregação racial.

5. 12 Anos de Escravidão (2013)

Imagem: Divulgação

Também vencedor do Oscar de Melhor Filme, 12 anos de Escravidão tem como cenário a vida de Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor), um jovem livre e que vive com tranquilidade junto aos filhos e sua esposa no ano de 1841. A vida do rapaz muda completamente quando ele é sequestrado e vendido como um escravo.

6. Histórias Cruzadas (2011)

Imagem: Divulgação

O filme Histórias Cruzadas, de Tate Taylor, se passa na década de 1960 e mostra a vida de Skeeter (Emma Stone), uma jovem escritora que começa a entrevistar as mulheres negras do estado do Mississippi. Essas mulheres contam histórias de como deixaram suas vidas pessoais de lado para criar os filhos de uma elite branca.

7. Cidade de Deus (2002)

Imagem: Divulgação

Sucesso no início dos anos 2000, Cidade de Deus, dirigido por Fernando Meirelles e Kátia Lund, mostra a vida nas favelas do Rio de Janeiro na década de 1970, com foco na vida do fotógrafo Buscapé (Alexandre Rodrigues) e Zé Pequeno (Leandro Firmino), um traficante da região. Em sua arte, ele mostra os perigos do cotidiano da comunidade.

8. Selma – Uma Luta Pela Igualdade (2014)

Imagem: Divulgação

O filme Selma: Uma Luta pela Igualdade retrata a história de Martin Luther King Jr., interpretado por David Oyelowo, na conquista do direito ao voto da comunidade negra nos Estados Unidos. O movimento resultou em uma marcha épica do político até o Alabama, convencendo o presidente Lyndon Johnson a implementar a Lei dos Direitos de Voto.

9. Django Livre (2012)

Imagem: Divulgação

Em Django Livre, o diretor Quentin Tarantino mostra a história de Django (Jamie Foxx), um ex-escravo que se une a Schultz (Christoph Waltz), um caçador de recompensas, para capturar os irmãos Brittle. Depois de cumprir a missão, eles seguem juntos no trajeto em novas tarefas, como resgatar a esposa de Django, Broomhilda (Kerry Washington), que também foi sequestrada para a escravidão.

10. Mississippi em Chamas (1988)

I

Imagem: Divulgação

No filme Mississippi em Chamas, de 1988, o diretor Alan Parker mostra o desaparecimento de um grupo de ativistas dos direitos civis e a contratação da dupla Alan Ward (Willem Dafoe) e Rupert Anderson (Gene Hackman), do FBI, para conduzir a investigação. No entanto, as autoridades locais decidem não se envolver por motivações claramente racistas.

Fontes: todamateria.com.br

canaltech.com.br

Comentários (0)

Deixe um comentário