Notícias

Entidades sindicais reúnem-se para discutir situação do Izabela Hendrix

IZABELA HENDRIX
Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

Diretores de oito entidades sindicais, entre elas o Sinpro Minas, se reuniram ontem (13/12), em São Paulo, para discutir uma ação conjunta contra o descumprimento de direitos trabalhistas dos professores e auxiliares de administração escolar por parte das escolas do Instituto Metodista Izabela Hendrix no país.

Uma carta foi encaminhada ao Conselho Superior de Administração e à Direção-Geral das Instituições Metodistas, com o pedido de uma reunião emergencial. O objetivo é discutir soluções para o quadro de constantes atrasos no pagamento de salários e de verbas rescisórias dos que foram demitidos, além dos demais descumprimentos da legislação trabalhista.

Na carta, os representantes das entidades sindicais se colocam à disposição para reunir esforços, a fim de garantir o funcionamento da rede de ensino, com o “fiel e rigoroso cumprimento de todos os direitos fundamentais sociais de seus empregados”.

Participaram da reunião diretores da Contee, do Sintae/RS e dos Sindicatos dos Professores (Sinpro) de Campinas e Região, ABC, Juiz de Fora, Pará, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. O Sinpro Minas foi representado pela diretora Celina Arêas.

Assembleia

No dia 10 de dezembro, professores do Izabela Hendrix em Belo Horizonte fizeram uma assembleia para debater a situação na instituição de ensino. Uma nova assembleia será realizada no início de fevereiro para avaliar o quadro de descumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e decidir quais medidas poderão ser encaminhadas, entre elas a paralisação das atividades por tempo indeterminado.

O Sinpro Minas também entrou com uma medida cautelar para bloquear contas bancárias do Instituto Metodista Izabela Hendrix, com o objetivo de garantir o pagamento do salário de dezembro, do 13º e das férias.

Comentários (0)

Deixe um comentário