Notícias

Nota da Frente Mineira Popular em Defesa da Previdência Social

aposentados-protesto-belo-horizonte-CTB 725
Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

Às Entidades que integram a Frente Mineira Popular em Defesa da Previdência Social

Prezados

Diante do anúncio do Presidente da República de que “servidores estaduais e municipais serão excluí­dos da PEC 287”, a coordenação da Frente Mineira  manifesta-se:
Compreendemos a tentativa do governo de “dividir para enfraquecer”. Essa tática não nos enganam. Ao retirar as Forças Armadas, depois os policiais militares, e agora os servidores municipais e estaduais, o go­verno espera quebrar a resistência do conjunto, minar a nossa união e facilitar a vida dos deputados federais que estão sob pressão nas suas bases.

O ataque que virá depois será muito mais fácil, rápido e eficaz. Os deputados serão eleitos para mais 4 anos, as categorias estarão desmobilizadas e não contarão com apoio social nem a solidariedade dos de­mais. Não vamos cair nessa armadilha.

Uma vez estabelecida a nova regra constitucional com a aprovação da PEC 287, estados e municí­pios não terão autonomia para definirem de forma diferente, pelo contrário, a considerar a forma como está sendo conduzido o processo de renegociação das dívidas, as regras podem ser mais perversas e serão impostas numa roupagem típica de chantagem (aumento da contribuição previdenciária, falta de con­curso público, de promoção, de progressão na carreira nem ajuste salarial), conforme está ocorrendo com a renegociação do RJ e RS e MG.

A trincheira de luta da Frente Mineira Popular em defesa da Previdência Social sempre foi esta que está explícita no seu nome: a defesa da Previdência Social Pública para todos os brasileiros: trabalha­dores do Regime Próprio e do Regime Geral, dos aposentados, pensionistas e principalmente os jovens e as futuras gerações. Sabemos que a Previdência Social é uma das maiores invenções da humanidade e lutaremos contra a sua destruição.

Se por um lado, com a decisão anunciada ontem, o governo quer nos dividir para nos enfraquecer, por outro, o recuo é sinal de que percebeu que essa reforma não vai passar, sua base no Congresso está temerosa da nossa resposta contundente, caso votem a favor da PEC. Então, vamos aumentar a pressão. Mais um pouco e derrubamos essa Reforma.
Nossa União é nossa Força! Vamos pra cima deles derrubar a PEC 287“

Comentários (0)

Deixe um comentário