Notícias

Nota de apoio do Sinpro Minas aos professores do Colégio Marista de Varginha

NOTA-DE-APOIO-02-1
Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

“Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda”.
Paulo Freire

O Sinpro Minas manifesta o seu apoio e solidariedade aos professores do Colégio Marista de Varginha, diante da pressão, pelas redes sociais, de um reduzido grupo de pais de alunos.

De forma equivocada, esse pequeno grupo acusa os docentes de defenderem a chamada “ideologia de gênero” e critica o material didático de Ensino Religioso adotado pela instituição de ensino, que aborda a pluralidade religiosa e dá o mesmo valor às diferentes crenças.

A postura de negação da ciência, de intolerância religiosa e de preconceito à diversidade nos preocupa profundamente, pois gera uma atmosfera pouco harmoniosa na comunidade escolar, insegurança, desconforto e até mesmo certa angústia sobre os professores, que já são parte de uma classe desvalorizada e oprimida.

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação, de 1996, estabelece o ensino religioso de matrícula facultativa, como integrante da formação básica do cidadão, assegurando o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil e vedando quaisquer formas de proselitismo.

Em conformidade com as orientações dessa lei, os professores do Colégio Marista de Varginha trabalham a disciplina de Ensino Religioso como ciência humana, assim como todas as outras, propondo discutir a experiência presente nas culturas.

Com isso, o que se busca é a reflexão sobre os problemas fundamentais da existência e a promoção de oportunidades que provoquem a inteligência, a racionalidade, a curiosidade científica e as sensibilidades artística e religiosa, questionadoras do sentido da vida e dos valores humanos.

Dessa forma, a ação desse limitado grupo de pais, de postura conservadora, não está em consonância inclusive com os valores defendidos pela própria instituição de ensino. Merece, portanto, o repúdio de todos aqueles preocupados com uma educação que promova uma sociedade mais inclusiva e humana.

Nesse sentido, o Sinpro Minas reafirma o seu apoio e solidariedade aos professores do Colégio Marista de Varginha e reitera que não medirá esforços para defender os direitos e autonomia docente da categoria.

————-

Confira abaixo nota assinada por pais de alunos

Nós, pais de alunos do Colégio Marista de Varginha, viemos prestar nosso apoio e solidariedade a esta instituição de ensino e aos seus professores.

Acreditamos que o conteúdo ministrado nas aulas de Ensino Religioso, abrangendo e respeitando o sincretismo religioso, contempla um mundo mais humano, igualitário e tolerante.

Da mesma forma, afirmamos que todos os professores que trabalham para uma formação integral do ser humano, fortalecendo sua capacidade de análise e reflexão, têm nosso respeito e confiança, pois percebemos que, em nossos filhos, tem-se despertado o interesse do saber e do senso crítico, contribuindo para a formação de indivíduos cada vez mais humanizados.

Reiteramos nosso repúdio contra todo tipo de intolerância: racial, social, política, religiosa, sexual.

Somos cristãos e procuramos seguir a orientação do nosso Mestre maior, que pregou o amor ao próximo e o não julgamento dos nossos pares.

————-

Confira abaixo a manifestação de estudantes nas redes sociais

Mensagem alunos Marista Varginha

Comentários (0)

Deixe um comentário