Notícias

Nota de repúdio: UNI-BH fecha unidades do Lourdes e da Cristiano Machado

UNIBH2
Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

O Sinpro Minas se une ao diretório acadêmico do curso de Direito do UNI-BH e a várias outras instituições, assinadas abaixo, para denunciar e repudiar as medidas tomadas pelo UNI-BH (Centro Universitário BH) em parceria com o Centro Universitário UNA, ambas do Grupo Ânima.

O UNI-BH acaba de anunciar o fechamento de duas de suas unidades (Lourdes e Cristiano Machado), impondo o remanejamento dos quase mil alunos/as do curso de Direito da unidade Lourdes para o campus Buritis, desconsiderando custos, desgastes e todo o impacto desta medida para alunos/as, professores/as, demais funcionários/as e para a própria comunidade do entorno.

O fechamento das duas unidades trouxe demissão de professores/as e vai gerar um prejuízo social e financeiro para os/as alunos/as que precisarão se deslocar mais 8 quilômetros para o Buritis e se acomodarem em salas lotadas. A medida afetará especialmente os/as alunos/as que recebem assistência estudantil (ProUni e Fies), que podem ter seu direito à educação cortado em função do aumento de despesa e distância não planejadas.

A transferência dos/as alunos/as de Direito para o Buritis causará um grande impacto na vida de todos, inclusive dos que já estudam lá e de toda a comunidade – que sentirá os efeitos no aumento do trânsito.

É importante destacar que este movimento do UNI BH é calcado em cláusula abusiva, conforme o código de defesa do consumidor – o que foi assinado em contrato não poderia nunca ser desrespeitado – e também contrário ao estatuto da instituição, que diz prezar pela responsabilidade social em qualquer das suas dimensões.

A postura do Grupo Ânima está na linha da precarização da educação praticada pelo governo federal e que, entre outras medidas, tem retirado direitos trabalhistas, reduzido carga horária de professores/as, demitido profissionais com ampla experiência, além de ter aumentado a virtualização dos cursos (EAD).

Como forma de combater as decisões do UNI BH, o Diretório Acadêmico do Curso de Direito entrou com denúncia no Ministério Público Federal. Também será realizado um ato público no dia 23/12, às 10 horas, em frente ao Campus do Buritis, com participação de representantes de várias entidades estudantis, sindicais e da comunidade local.

O Sinpro Minas, ao assinar esta nota, reafirma sua postura de lutar pelo fim da precarização e mercantilização da educação.

Juntos na luta pela qualidade do ensino no Brasil. Educação não é mercadoria!

Contee – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino
Diretório Acadêmico do Curso de Direito do UNI-BH
FENED – Federação Nacional dos Estudantes de Direito
Fitee – Federação Interestadual dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino
Sinpro Minas – Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais
UEE/MG – União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais
DAAP – Diretório Acadêmico Alvarenga Peixoto – Direito UniBH

Comentários (1)

  1. Para nos que vai para a una e os que vão ficar no unibh temos que ter um bom desconto porque estamos sendo muito prejudicados

Deixe um comentário