Notícias

Partido de Bolsonaro vota contra os professores

Plenário da Câmara durante votação desta quarta-feira
Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

Confira como votaram os deputados mineiros em relação ao destaque que retirava os professores da reforma da Previdência

Durante a votação em primeiro turno da reforma da Previdência, nessa quarta-feira (10/7), na Câmara dos Deputados, um destaque foi apresentado com o objetivo de excluir os professores da atual proposta de alteração das regras previdenciárias.

A ideia era que eles fossem incluídos em outro projeto, da mesma forma que os militares. No entanto, a proposta foi rejeitada no plenário da Casa, por 265 votos contra e 184 a favor.

“Isso permitiria a aprovação de outras regras para a categoria, que levassem em consideração fatores como os baixos salários dos professores, as condições inadequadas de trabalho, a sobrecarga de atividades e a importância da profissão para o desenvolvimento do país”, explica a presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato.

O PSL, partido do presidente Bolsonaro, votou majoritariamente contra a retirada dos docentes da reforma. Dos 53 deputados federais da legenda, 47 votaram contra o destaque que previa a exclusão.

“Isso demonstra o que já sabíamos, que o presidente e seu partido não se importam com a realidade profissional e as condições de vida dos professores brasileiros. Na tribuna, falam a favor da educação, mas, na prática, não perdem a primeira oportunidade para atacar os direitos e a imagem dos docentes no país. A defesa da educação não passa de discurso eleitoreiro. De mentiras em mentiras, vão destruindo os direitos do povo brasileiro”, criticou a presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato.

A presidenta do sindicato ressalta que, com a pressão da sociedade, os retrocessos podem ser barrados na tramitação no Congresso da proposta de reforma da Previdência.

“Como um rolo compressor, Bolsonaro atropelou os debates internos e as negociações em torno do texto e investiu pesado na compra de votos dos deputados, para aprovar a proposta do governo. Mas estamos convencidos de que a união e a mobilização do povo brasileiro podem corrigir esse retrocesso histórico no Senado, para onde segue o projeto, depois que for aprovado em segundo turno na Câmara”, destacou Valéria Morato.

Confira como votaram os deputados mineiros em relação ao destaque que retirava os professores da reforma da Previdência:


Votaram contra os professores (pela manutenção deles na reforma):

1. Alê Silva (PSL)
2. Bilac Pinto (DEM)
3. Cabo Junio Amaral (PSL)
4. Charlles Evangelista (PSL)
5. Delegado Marcelo Freitas (PSL)
6. Eduardo Barbosa (PSDB)
7. Gilberto Abramo (PSB)
8. Greyce Elias (Avante)
9. Lafayette Andrada (PRB)
10. Lucas Gonzales (Novo)
11. Luís Tibé (Avante)
12. Marcelo Álvaro Antônio (PSL)
13. Marcelo Aro (PP)
14. Paulo Abi-Ackel (PSDB)
15. Rodrigo de Castro (PSDB)
16. Tiago Mitraud (Novo)


Votaram a favor dos professores:

1. André Janones (Avante)
2. Áurea Carolina (Psol)
3. Dimas Fabiano (PP)
4. Emidinho Madeira (PSB)
5. Eros Biondini (Pros)
6. Franco Cartafina (PP)
7. Hercílio Coelho Diniz (MDB)
8. Júlio Delgado (PSB)
9. Lincoln Portella (PL)
10. Margarida Salomão (PT)
11. Mauro Lopes (MDB)
12. Misael Varella (PSD)
13. Odair Cunha (PT)
14. Padre João (PT)
15. Patrus Ananias (PT)
16. Paulo Guedes (PT)
17. Reginaldo Lopes (PT)
18. Subtentente Gonzaga (PDT)
19. Vilson da Fetaemg (PSB)
20. Weliton Prado (Pros)
21. Zé Silva (SD)
22. Zé Vitor (PL)

Deputados que se ausentaram na hora de votar o destaque:

1. Aécio Neves (PSDB)
2. Diego Andrade (PSD)
3. Léo Mota (PSL)
4. Leonardo Monteiro (PT)
5. Mário Heringer (PDT)
6. Newton Cardoso Jr (MDB)
7. Pinheirinho (PP)

Comentários (0)

Deixe um comentário