Notícias

Patronal quer dividir a categoria e ataca Superior e Infantil – Assembleia 23/3

CCT
Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

Professores voltam à luta por direitos e conquistas

Os professores e professoras decidiram manter as negociações em torno da pauta que construíram, durante assembleia realizada na tarde/noite dessa quinta-feira, 27, na sede do Sinpro.

Desta forma, pretendem se manter firmes e unidos na luta, ao pressentirem a tentativa patronal (Sinep/MG) de dividir a categoria com propostas de mudanças nas conquistas históricas dos profissionais do ensino superior.

Uma nova rodada de negociações entre a direção do Sinpro e o sindicato patronal está marcada para o dia 12, e desde já é importante que todos/as fiquem atentos às propostas indecorosas que os donos de escolas querem novamente nos impor.

Querem acabar com a isonomia salarial na Educação Superior, pretendem dar um fim na obrigatoriedade da homologação de rescisão no Sinpro e também eliminar o adicional sobre tempo de serviço.

Mas não é só isso. A ofensiva contra a educação coloca em pauta o fim das férias coletivas nos berçários e a redução das bolsas de estudo no setor. Além disso, não podemos deixar de lutar contra os prejuízos para a categoria da proposta de Reforma da Previdência entregue pelo governo ao Congresso Nacional.

Portanto, teremos um ano de intensas lutas contra perda de conquistas. “A tática patronal desconsidera o caráter da profissão de professor. Por isso nossa assembleia deliberou por manter a negociação da pauta construída pela categoria. Lutaremos por nenhum direito a menos, pela cláusula da liberdade de cátedra, que vai contra a ideia da ‘escola sem partido’ defendida por governistas que desejam impor o atraso. Portanto, na atual campanha reivindicatória e de defesa de direitos, temos de manter o mesmo espírito de unidade da vitoriosa campanha do ano passado”, ressaltou Valéria Morato, presidenta do Sinpro.

Próxima assembleia:

23/3 (Sábado), às 9h – Rua Jaime Gomes, 198 – Floresta (Sinpro Minas)

*Após assembleia, os professores estão convidados para análise sobre a Reforma da Previdência que será realizada por Flávio Tonelli Vaz (Assessor técnico da Câmara dos Deputados)

Resistir para existir!

Campanha reivindicatória 2019!

Comentários (0)

Deixe um comentário