Notícias

Presidenta do Sinpro fala à mídia sobre os impactos da reforma trabalhista

valeria
Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

A  presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato, atendeu à imprensa na sede do sindicato, onde falou aos/às jornalistas sobre os impactos da reforma trabalhista, que entrou em vigor no  sábado, 11 de novembro.

Valéria reafirmou que a reforma que virou lei vem para acabar com a regulação do trabalho e penalizar o trabalhador. “A CLT que até então protegia um pouco o trabalhador, hoje protege o grande empresariado, protege aqueles que tratam de explorar os trabalhadores e trabalhadoras”, afirmou.

Além de abordar os impactos gerais da reforma trabalhista, Valéria também enfatizou as consequências diretas para a categoria docente e para a qualidade da educação. Contratação por hora intermitente, contratação por pessoa jurídica, perda das férias e da gratuidade à justiça do trabalho são alguns dos pontos que rondam o futuro dos/as professores/as. Para Valéria, a escola que optar em contratar por contrato intermitente ou terceirização, vai colocar a qualidade da educação em risco, já que o/a professor/a precisa de vínculo com seus alunos, com a coordenação, a escola, com a comunidade escolar, de uma forma geral. “A elaboração de um projeto pedagógico que se quer humanitário precisa ser feito com professores/as comprometidos/as, que  estejam dentro do quadro da escola, que tenham seus direitos garantidos e que sejam valorizados”, concluiu.

Mesmo com um cenário de fortes retrocessos e incertezas, Valéria não deixou de ressaltar o papel do Sindicato na luta pela defesa dos direitos da categoria e pontuou que a entidade seguirá trabalhando, nos âmbitos político e jurídico, para que as medidas adotadas pela reforma não se efetivem para os/as professores/as.

“Nós só vamos conseguir resistir através do coletivo, que é construído através das entidades sindicais. Por isso, cada vez mais, estar próximo ao sindicato, se sindicalizar, buscar apoio na entidade sindical é extremamente importante”, reforçou.

Nesta sexta-feira, 10 de novembro, o Sinpro Minas aderiu à mobilização nacional da classe trabalhadora em repúdio à reforma trabalhista e à reforma da previdência, que ainda tramita no Congresso.

Ouça Valéria Morato pela Rádio Sinpro Minas

Comentários (0)

Deixe um comentário