Notícias

Professores vencem queda de braços e põem fim à greve

ass
Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

Após dez dias de greve, as professoras e professores do setor privado de ensino decidiram voltar ao trabalho a partir deste sábado (5/5), durante assembleia realizada nesta sexta-feira (4/5) no Espaço Democrático da Assembleia Legislativa.

A categoria entendeu que conseguiu vencer a queda de braços com os donos de escolas que queriam impor uma série de retrocessos à convenção coletiva no embalo da reforma trabalhista.

O reajuste salarial será pelo INPC, 1,56%, mas os professores conseguiram fixar a homologação de rescisão dentro da Convenção Coletiva de Trabalho (fato inédito, que compunha a já desfigurada CLT) para após o segundo ano de contrato.

Além disso, ficaram garantidas conquistas históricas que os patrões queriam eliminar ou mudar e ainda conquistamos o pagamento dos dias parados e a garantia de não punição dos grevistas, também prevista de forma inédita como cláusula em uma CCT.

Após as mudanças feitas nesta sexta-feira pelo sindicato patronal, depois da assembleia de seus associados, os professores consideraram o movimento vitorioso, por conseguirem manter seus direitos históricos e alguns avanços.

Segundo Valéria Morato, presidenta do sindicato: “A nossa greve foi vitoriosa. Foi mantida uma convenção coletiva histórica conquistada com muita luta pelos professores. Os professores atenderam ao chamado do sindicato e fizeram um movimento de resistência impondo uma derrota histórica à tentativa de implementação da reforma trabalhista por parte do patronal. Essa greve vira referência para todos os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A nossa unidade nos fará vencedores!”

Para Gilson Reis, coordenador geral da CONTEE, “A greve dos Professores de Minas  encerra com vitória da categoria e derrota dos donos de escola. Manutenção de todos os direitos conquistados. Homologação no Sindicato, que não era prevista em Convenção, reajuste salarial pelo INPC, nenhuma retaliação e punição aos grevistas e uma ampla unidade dos trabalhadores que entraram unidos na greve e saíram unidos e fortalecidos”.

Essa foi considerada uma das maiores greves do setor privado de educação desde a década de 1990 e teve uma característica muito positiva de englobar estudantes e pais/mães no apoio da categoria de professores.

Nenhum direito a menos! Nossos direitos, nossa luta!

Veja a galeria de fotos da assembleia vitoriosa dos professores mineiros

Screenshot_20180504-191730 (1)

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.32.07

Screenshot_20180504-191936

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.32.08

IMG_20180504_154503069

IMG_20180504_163140789

IMG_20180504_154223900 (1)

IMG_20180504_154112554

IMG_20180504_154514733

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.32.09

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.32.00

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.32.04

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.32.00 (1)

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.27.34 (1)

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.27.35 (2)

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.31.58 (1)

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.32.06

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.32.07 (1)

WhatsApp Image 2018-05-08 at 15.32.08 (1)

 

Comentários (3)

  1. Um precedente histórico do SINPRO Minas nesses dez dias de movimento grevista! Barramos retrocessos, pois as investidas dos golpistas, de seus seguidores e aplicadores aos direitos trabalhistas não param. É indispensável que os sindicatos e centrais dos trabalhadores estejam vigilantes e mobilizados. Uma semana de intensa mobilização dos trabalhadires será de grande importancia neste sentido.

  2. Um precedente histórico do SINPRO Minas diante da investida do governo golpista atual a' CLT, seus seguidos, os que aplicam estas investidas. Sindicatos e centrais no Brasi! Vigilância e mobilização! Reservem uma semana em cada mais intensamente para este fim, cada categoria e em âmbito nacional. Esta vitória destes 10 dias significa muito!

  3. É o que sempre falo: hoje é o meu direito, amanhã será o seu ! Vivemos tempos de fragilização das conquistas sociais... não podemos dispersar! Uma possível derrota dos professores desencadearia num fortalecimento dos Sindicatos Patronais e seria efeito cascata. Parabéns ao Sinpro que com inteligência e estratégia correta lutou pelos professores e não por interesses políticos! Sindicato serve pra isso, pra defender a categoria!

Deixe um comentário