Notícias

Sinpro Minas cobra suspensão das demissões em massa na Newton Paiva

Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

Em reunião realizada na Superintendência Regional do Trabalho (SRT), nesta sexta-feira (21/12), diretores do Sinpro Minas cobraram dos representantes do Centro Universitário Newton Paiva a suspensão das demissões em massa de professores. No entanto, a instituição de ensino manteve uma postura intransigente, não apresentou proposta que reverta as demissões e a reunião terminou sem acordo. O Sinpro Minas informa que está tomando todas as medidas cabíveis em busca de uma solução para a situação. Os professores que necessitem de esclarecimentos, poderão procurar o Sinpro Minas no plantão, durante o recesso, com a professora Graça no dia 27/12, de 9 às 12 horas, ou após o dia 3 de janeiro. As homologações continuam suspensas. DemissõesDe acordo com levantamento do Sinpro Minas, a partir dos pedidos de homologações da Newton Paiva, 90 professores – cerca de 20% do quadro docente – estão na lista de demissões.O presidente do Sinpro Minas, Gilson Reis, criticou as demissões em massa na instituição de ensino e fez um balanço do quadro de mercantilização da educação no estado. Ele exigiu, ainda, explicações sobre os critérios usados pela direção para demitir os professores.“Quanto mais se demite mestres e doutores experientes e com anos de dedicação acadêmica, mais se aprofunda a crise da qualidade da educação. A mercantilização, além de precarizar as relações de trabalho, precariza a qualidade do ensino”, denunciou Gilson Reis.De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) na semana passada, 83 instituições de ensino superior privadas de Minas Gerais ficaram abaixo da média satisfatória instituída pelo Índice Geral de Cursos (IGC). O número representa 25,6% do total de escolas avaliadas.

Comentários (0)

Deixe um comentário