Notícias

Unincor Salários atrasados provocam indignação

Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

Os docentes da Unincor continuam aguardando um desfecho favorável para a situação dos atrasos salariais. Na última reunião realizada no dia 11 de dezembro, na Superintendência Regional do Trabalho, a DDOTrevisan – empresa que assumiu a gestão da Universidade, a partir da intervenção do Ministério Público – não apresentou nenhuma proposta de solução das irregularidades trabalhistas. Nova reunião entre Sinpro Minas, Saae e os gestores da instituição ficou agendada para o dia 5 de janeiro. O Sinpro aguarda uma proposta efetiva por parte da escola até essa data. Só então será agendada uma nova assembleia com os professores para discutir a possível proposta e definir os rumos do movimento.SaláriosNos últimos dias, foi efetuado o pagamento de até R$ 1000,00, referente ao vencimento de novembro, para os docentes de todos os campi e extensões da Unincor. Nas unidades de Betim, BH e Ibirité, seis salários estão atrasados. Na unidade de Três Corações, nove folhas de pagamento permanecem em aberto. A falta de uma solução definitiva para os problemas tem deixado os professores indignados.  EstadualizaçãoA situação na Unincor é tão grave que a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa criou, no dia 9 de dezembro, uma Comissão de Deputados para acompanhar o processo de discussão visando a estadualização da instituição de ensino. No próximo ano, tanto o substitutivo quanto a PEC que versam sobre o assunto estarão em discussão na ALMG. Será preciso o apoio de toda a comunidade acadêmica e da sociedade para os projetos avançarem.

Comentários (0)

Deixe um comentário